Jana Koefender

Doutora

+55 (55) 3321 1525
jkoefender@unicruz.edu.br
Horários de Atendimento
Tarde / Noite

Histórico

No ano de 1989, o Programa de Apoio aos Polos de Inovação Tecnológica foi criado pela Secretaria da Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico do Estado do Rio Grande do Sul (SCIT/RS). O principal objetivo dos Polos Tecnológicos encontra-se no estímulo à integração entre as universidades e demais centros de pesquisa com o setor produtivo, objetivando a promoção do desenvolvimento de tecnologias adequadas às diferentes regiões do Estado.

A Universidade de Cruz Alta (UNICRUZ) assinou o protocolo de intenções junto à SCIT/RS no ano de 1992, sendo que, no ano de 1993, houve efetivamente a criação e a implantação do Polo de Inovação Tecnológica do Alto Jacuí (na época denominado como Polo de Modernização Tecnológica do Alto Jacuí), sendo a UNICRUZ a unidade executora responsável pelas atividades de pesquisa do Polo.

Diversos projetos tem sido desenvolvidos durante esses anos de parceria entre a UNICRUZ e a SCIT, na área de Biotecnologia aplicada à Agropecuária, sempre no intuito de promover o desenvolvimento da região do Alto Jacuí por meio de aplicações Biotecnológicas ligadas à Produção Vegetal e à Reprodução Animal. Diversos laboratórios foram criados na Universidade de Cruz Alta e, da mesma forma, alguns laboratórios foram estruturados em uma parceria com a Fundação Centro de Experimentação e Pesquisa (FUNDACEP/FECOTRIGO) – atual CCGL-Tec -, os quais se encontram hoje em suas instalações.

Atualmente, o Polo de Inovação Tecnológica do Alto Jacuí encontra-se em uma etapa de reestruturação, na qual se tem priorizado as demandas regionais de acordo com o Planejamento Estratégico apontado pelo COREDE Alto Jacuí como pontos-chave para o desenvolvimento regional, atuando, desta forma, em consonância com as indicações da SCIT/RS e com o programa RS-Tecnópole. A principal área de atuação do Polo tem, como citado, Biotecnologia Aplicada à Agropecuária, entretanto, busca-se a ampliação das atividades ligas a grande área da Geração e Transferência de Tecnologias para a Agropecuária, com duas principais linhas de pesquisa: produção agrícola e produção leiteira.

Neste sentido, visa-se o desenvolvimento das linhas relatadas, bem como a busca do desenvolvimento da agricultura familiar, agroindústria familiar, fortalecimento da economia solidária e o gerenciamento e análise de resíduos.

Face ao exposto, evidencia-se a importância do Polo de Inovação Tecnológica como promotor do desenvolvimento agropecuário na região do Alto Jacuí e a importância dos projetos de pesquisa realizados, assim como a salutar reestruturação que vem ocorrendo para que novas pesquisas científicas, embasadas não apenas no desenvolvimento científico e tecnológico mas também nas características inovativas, sejam desenvolvidas.

Infra-Estrutura

O Polo de Inovação Tecnológica do Alto Jacuí está situado junto a sua Unidade Executora, a Universidade de Cruz Alta. O campus da UNICRUZ está na Rodovia Municipal Jacob Della Méa, km 5,6, Bairro Parada Benito, em Cruz Alta, RS.

Os principais laboratórios que compõe o Polo de Inovação Tecnológica do Alto Jacuí são:

Laboratório de Cultura de Tecidos Vegetais “in vitro
            Atua na área de pesquisa em aplicações biotecnológicas na produção vegetal de espécies de interesse nos mais diversos setores econômicos e para o desenvolvimento da região.

 

Laboratório de Multiplicação Vegetal (estufas)
            Pesquisas na área de produção de mudas de espécies agrícolas, florestais, frutícolas e medicinais, bem como espécies alternativas que possam integrar o sistema produtivo primário.

Laboratório de Reprodução Animal
Atua na área de biotecnologia aplicada à reprodução animal.

Laboratório de Microbiologia Veterinária
Pesquisas na área de microbiologia veterinária, especialmente no controle da mastite bovina.

Demais laboratórios
Além desta estrutura laboratorial citada, o Polo também conta com os demais laboratórios da Universidade de Cruz Alta, em um total de mais de 30 laboratórios.

Área de Atuação

O Polo de Inovação Tecnológica do Alto Jacuí possui com área de atuação Biotecnologia Aplicada à Agropecuária, onde busca-se o desenvolvimento de pesquisas que possam contribuir com a região de abrangência do Conselho Regional de Desenvolvimento do Alto Jacuí (Corede Alto Jacuí).

Tendo-se em vista a necessidade das pesquisas estarem ligadas às prioridades elencadas no Planejamento Estratégico de Desenvolvimento do respectivo Corede, atualmente o Polo está em faze de reestruturação visando atender a uma maior área de atuação: a Geração e Transferência de Tecnologias para a Agropecuária. Nesta área, destacam-se duas principais linhas de pesquisa: produção agrícola e produção leiteira. Neste sentido, visa-se o desenvolvimento das linhas relatadas, bem como a busca do desenvolvimento da agricultura familiar, agroindústria familiar, fortalecimento da economia solidária e o gerenciamento e análise de resíduos.

Equipe de Pesquisa

A equipe de pesquisadores atuantes em projetos do Polo de Inovação Tecnológica do Alto Jacuí é composto por profissionais de diversas áreas do conhecimento científico.

Equipe de pesquisadores:
Prof. Dr. Diego Pascoal Golle
Biólogo

Profª Drª Jana Koefender
Engenheira Agrônoma

Profª Drª Candida Elisa Manfio
Engenheira Agrônoma

Prof. Dr. Rafael Pivotto Bortolotto
Engenheiro Agrônomo

Profª Drª Roberta Cattaneo Horn
Farmacêutica Bioquímica

Prof. Dr. Lucas Carvalho Siqueira
Médico Veterinário

Profª. Drª. Patrícia Wolkmer
Médica Veterinária

Pós-doutoranda Juliane Nicolodi Camera

Engenheira Agrônoma

Projetos em Andamento

Projeto: Resgate, multiplicação e produção de germoplasma de mandioca (Manihot esculenta Crantz) no Alto Jacuí
Coordenadora
Profª Drª Jana Koefender
jkoefender@unicruz.edu.br

Pesquisadores Colaboradores

Prof. Dr. Diego Pascoal Golle
dgolle@unicruz.edu.br

Prof. Drª Roberta Cattaneo Horn
rcattaneo@unicruz.edu.br

Engª. Agrª. Drª Candida Elisa Manfio
candidamanfio@gmail.com

Responsável Técnico Ambiental

Esp. Maria Amélia de Melo Silva
mamelia@unicruz.edu.br

Licenças Ambientais

Laboratório de Cultura de Tecidos Vegetais in vitro – LO 158/2012
Laboratório de Multiplicação Vegetal (Estufas) – LO 157/2012

Resumo: O presente projeto prevê os testes iniciais para a validação de metodologias de multiplicação in vitro, por meio de técnicas de cultura de tecidos, e de propagação ex vitro adequando a metodologia da propagação rápida para cultivares tradicionais de mandioca (Manihot esculenta Crantz – Euphorbiaceae) cultivadas no Alto Jacuí. Além disso, será realizado um trabalho de resgate de cultivares tradicionais, na busca da preservação destes recursos genéticos. Amostras do material propagativo serão coletadas e plantadas em campo experimental, visando o acompanhamento do desenvolvimento e a avaliação das características morfológicas utilizadas na descrição das cultivares, juntamente com as informações fornecidas pelos agricultores em termos morfológicos e de produtividade. Também será coletado material para a realização da análise da variabilidade genética destas cultivares por meio de marcadores moleculares ISSRs (inter simple sequence repeats). Os índices de amido e ácido cianídrico presentes nas cultivares serão determinados bioquimicamente. Com base nestes conhecimentos gerados, será realizada a multiplicação ex vitro pelo método de multiplicação rápida em ambiente protegido e a multiplicação in vitro, permitindo o fornecimento de mudas com procedência regional e características bem definidas a partir dos descritores morfológicos, moleculares e análises químicas; bem como o incentivo à conservação do germoplasma. Reuniões técnicas serão realizadas com produtores visando a difusão do conhecimento, bem como a produção de material bibliográfico para distribuição e a submissão de artigos e vinculação em mídia regional.
Financiamento: R$ 300.000,00
Orçamento total: R$ 410.000,00