Formação diferenciada

Formação diferenciada

Avaliação prática de Ciências Forenses simulou locais de crime

A Universidade de Cruz Alta busca, nas suas práticas de formação, oportunizar aos acadêmicos diferentes vivências. Nesse sentido, os alunos da disciplina de Ciências Forenses, do curso de Biomedicina, tiveram a experiência de avaliação através da simulação de um crime violento, em que os estudantes tiveram que coletar indícios e evidências para concretizar um laudo.

De acordo com o professor da disciplina, Eduardo Novakoski, a proposta projeta uma exploração teórico-prática dentro das áreas da Criminalística e Medicina Legal, introduzindo ao aluno o conhecimento de Balística, Autópsias, Papiloscopia e Patologia.

Prática de balística

Nessa prática, o professor apresentou para os alunos simulacros de armas de fogo e munições, adquirindo o conhecimento da balística forense, através do mecanismo simulado das Airguns (armas de pressão a gás CO2).

Prática de necropsia

Por meio de uma atividade prática junto a modelos anatômicos laboratoriais, os acadêmicos puderam estudar e avaliar lesões traumáticas decorrentes da medicina legal e patologia forense, colocando o aluno numa realidade prática instrumental e em equipe.

Prática de Papiloscopia

Através desta prática, o acadêmico pode estudar a revelação de impressões digitais em locais ou objetos, proporcionando ao aluno estudos de identificação humana.

Prática de antropologia forenses

Por meio do estudo dos ossos humanos, junto ao Laboratório de Anatomia da Unicruz, foi possível demonstrar aos alunos técnicas aplicadas para determinação de idade ou sexo de esqueletos que possam ser encontrados frente a ocultações criminais ou históricas.

O professor considera que os conhecimentos sobre ciências forenses se tornam um diferencial na formação do biomédico, pois é uma das principais habilitações desta profissão.

Quer receber as notícias no seu email, acesse aqui