A VIDA LÁ FORA

Os desafios e as oportunidades de estudar em outro país.


Passar uma temporada fora do país é o sonho de muitos estudantes. Na Unicruz, atualmente, nove acadêmicos realizam intercâmbio por meio  do Programa de Mobilidade Acadêmica Internacional para Graduação (PMAIG). São três alunos do Curso de Engenharia Civil, dois de Farmácia, um de Agronomia, um de Arquitetura e Urbanismo, um de Engenharia de Produção e um de Fisioterapia.

Mas depois de conquistar a tão sonhada vaga, o desafio é outro. Como é se adaptar à cultura e à nova rotina? Gabriela Tolentino, acadêmica de Fisioterapia da Unicruz, está estudando no Instituto Católico de Leiria, Universidade de Aveiro (UA). Ela contou à Revista Hemisférios como está sendo esse período em Portugal.

Hemisférios: Você sempre quis estudar no exterior?

Gabriela: Sim, sempre foi algo que eu queria fazer durante a minha graduação: o intercâmbio é uma oportunidade muito interessante de ampliar horizontes, tanto profissionalmente como pessoalmente.

Hemisférios: Quais são as diferenças culturais?

Gabriela: Existem alguns hábitos diferentes. Aqui é bem tranquilo quanto à segurança, então todo mundo faz tudo a pé, isso demora um pouco pra acostumar. Eles são prestativos e simpáticos. Eles também são muito apaixonados pela universidade que estudam, todos têm orgulho em ser da UA, vestem o uniforme com orgulho, e é muito comum ver os “finalistas” (alunos do último ano) trajados e com suas capas. Outro fato interessante é que aqui fazem o “praxe”, que seria o nosso trote, mas esse ocorre durante todo o semestre com os alunos e é uma maneira muito legal de confraternização. Eles saem juntos, aprendem as canções do curso, as canções da universidade, fazem competições... É algo bem interessante de acompanhar.

Hemisférios: Qual foi o grande desafio ao chegar em outro país?

Gabriela: A minha maior dificuldade foi aprender a me virar sozinha. No Brasil, tinha sempre apoio dos meus pais e avós e chegar aqui sozinha, aprender a fazer de tudo, foi desafiador. O segundo desafio foi de conhecer pessoas de outras culturas, culturas muito distintas da nossa e suas línguas. Ademais, ver toda a responsabilidade que é representar meu país e minha universidade está sendo um grande desafio.

Hemisférios: No que a Unicruz ajudou?

Gabriela: A Unicruz me preparou muito bem, desde a escolha da universidade até o dia de partida. A troca com os alunos que estavam aqui no período anterior ajudou a sanar dúvidas, além de me preparar para tomar decisões e saber como agir. Isso ajuda muito porque, às vezes, nos pegamos em certas situações estranhas. Mas sempre fui muito bem orientada pelos responsáveis pela internacionalização, e isso faz com que esteja sendo muito tranquilo meu período aqui.

Hemisférios: O que vai mudar na sua vida após está experiência?

Gabriela: Aveiro é uma cidade linda e encantadora, ela te conquista com cada lugar novo que você conhece. Eu tive o prazer de fazer vários amigos aqui. Com certeza levarei comigo o que aprendi convivendo com diferentes culturas, o que aprendi sobre Portugal. Conheci lugares incríveis e alguns ainda quero conhecer, além de toda a bagagem acadêmica que esse tempo aqui tem me proporcionado. Aprender com esses professores tem sido estimulante, eles te instigam a buscar mais conhecimento. Vou levar comigo ótimas recordações, e é como dizem aqui: “Aveiro é nosso, Aveiro é nosso e há de ser, Aveiro é nosso até morrer!”.

Hemisférios: O que vai contribuir para a sua vida profissional?

Gabriela: A minha vida acadêmica, sem dúvida, tomou outro rumo desde que vim pra cá. O ensino deles tem me agregado muitos conhecimentos e me desafiado a buscar mais, começando a construir o tipo de profissional que serei. Com certeza, esse tempo em Aveiro contribuiu, de forma inestimável, para o meu futuro, tanto para as oportunidades que surgiram ainda aqui, quanto às futuras.


==========================================================

 

Estudar no exterior através da Unicruz

O Programa de Mobilidade Acadêmica tornou possível realizar o sonho de estudar parte da graduação em outro país.

Estudar em outro país pode ser uma oportunidade única de aprendizado e vivência cultural, seja para quem quer ganhar fluência em um segundo idioma, realizar uma pesquisa científica, conhecer lugares diferentes, seja para experimentar outros modos de vida ou mesmo expandir sua visão de mundo.

Desde 2015, a Unicruz desenvolve, através da Assessoria de Assuntos Internacionais, o Programa de Mobilidade Acadêmica Internacional para Graduação (PMAIG), o qual visa a estabelecer atividades de mobilidade internacional ou de natureza acadêmica, científica, esportiva, artística e cultural, como cursos, estágios e pesquisas orientadas que possam auxiliar a complementar o aprimoramento da formação do estudante.

O diferencial do programa é que os alunos contemplados são isentos do pagamento de mensalidades acadêmicas em ambas as instituições (de origem e de destino). O período que o PMAIG oferece para imersão é de um semestre letivo, com possibilidade de prorrogação por mais um.

De forma a diversificar as possibilidades de mobilidade acadêmica internacional, a Unicruz possui convênio com 19 universidades, de nove países:

Alemanha: Universidade de Ciências Florestais de Rottenburg e Universidade de Ciências Aplicadas da Alemanha (UAS7)

Argentina: Universidade Gastón Dachary, Universidade de Missiones (Unam), Instituto Privado de Estudos Superiores (Ipet 1308), Instituto Privado Carlos Linneo (IPPCL), Instituto de Reprodução Animal Córdoba (Irac)

Canadá: Universidade de Montreal

Chile: Universidade Mayor do Chile (Umayor)

Cuba: Centro de Pesquisa de Criação Animal de Pecuária Tropical (CIMAGT)

Espanha: Universidade de Léon (Unileón) e Universidade Politécnica de Madrid

Finlândia: Universidade de Ciências Aplicadas Turku

Paraguai: Universidad Católica Nuestra Senora de la Assunción (UC) e Universidad Autónoma de Encarnación (Unae)

Portugal: Instituto Politécnico de Leiria, Universidade de Aveiro, Universidade de Coimbra e Universidade do Algarve (UA)

Como participar

Aluno da Unicruz: ficou com vontade de estudar no exterior? Fique atento aos editais do PMAIG, que são lançados a cada início de semestre. Para participar, é necessário ser maior de idade, estar matriculado em um dos cursos contemplados pela instituição de destino e ter cursado entre 20% e 80% da grade curricular. Os candidatos são avaliados e selecionados por uma comissão formada pela AAI/Unicruz, a partir da análise da documentação, do desempenho acadêmico e da participação em programas institucionais de iniciação científica, pesquisa e extensão. O escritório da Assessoria está localizado no Centro de Convivência do Campus, e o contato para obtenção de mais informações pode ser feito pelo e-mail internacionalizacao@unicruz.edu.br ou pelo telefone (55) 3321-1620.