Bovinocultura na região? Sim!

Bovinocultura na região? Sim!

Em Fórum promovido na Fenatrigo, pesquisadores defendem a viabilidade da integração lavoura-pecuária.

:

Um dos eventos técnicos mais aguardados da XV Feira Nacional do Trigo (Fenatrigo) teve início ontem (15), no Auditório do Sindicato Rural. A etapa inicial do V Fórum de Produção Pecuária Corte teve ênfase no manejo de bovinos. Com muita procura de graduandos e pós-graduandos em cursos de Ciências Agrárias, pesquisadores, empresários e produtores rurais, a primeira atividade da noite foi conduzida pelo professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Paulo César de Faccio Carvalho. Doutor em Zootecnia, Carvalho dedicou quase duas décadas atuando em busca da intensificação sustentável da agropecuária nacional, especialmente na região Sul do Brasil. Uma de suas pesquisas foi realizada nas proximidades de Cruz Alta: demonstrou, em uma propriedade rural situada em São Miguel das Missões, que é possível integrar lavoura e pecuária com eficiência produtiva e econômica.

Ainda no evento, houve a atualização dos dados do estudo desenvolvido na Área de Produção Animal da Unicruz. Há três anos, os docentes Daniele Araldi, Lucas Carvalho Siqueira e Luiz Felipe Kruel Borges avaliam estratégias nutricionais e reprodutivas para produção de carne bovina na região. O experimento já envolveu 160 novilhos e obteve resultados positivos, entre eles as viabilidades de alimentação animal com grãos como cevada e aveia, como alternativa ao milho, e de redução da idade de acasalamento, com garantia de desempenho adequado de matrizes e bezerros.

“Temos um ambiente favorável para a bovinocultura de corte. Em nossos estudos, obtivemos como resultado que é possível produzir carne em nossa região, inclusive com eficiência superior em outras localidades do Rio Grande do Sul”, salienta o professor Lucas.

O V Fórum de Produção Pecuária Corte tem sequência nesta quinta-feira (16), às 18h30min, no mesmo local, com foco na produção de ovinos.

Quer receber as notícias no seu email, acesse aqui