Precisa-se de pets doadores

Precisa-se de pets doadores

Único ponto de coleta de sangue canino da região está sem estoque; Saiba como seu pet pode ajudar.

:

O único hemocentro animal da região está com estoque zerado. Pioneiro no Alto Jacuí, o Hospital Veterinário (HV) da Unicruz possui estrutura dedicada especialmente para coleta e transfusão de sangue entre cães. O problema é que frequência de doações tem sido escassa.

“Estamos preocupados com a situação do nosso banco de sangue. Se recebemos hoje um paciente em emergência, necessitando de transfusão sanguínea, não conseguimos fazer a transfusão. Então, muitas vezes, termos bolsas de sangue disponíveis é o limiar entre a vida e a morte de um animal”, comenta a coordenadora do Laboratório de Patologia Clínica Veterinária da Unicruz, professora Patrícia Wolkmer.

Para doar sangue, o cão precisa cumprir alguns requisitos: ter entre um e oito anos de vida, peso mínimo de 27 kg, temperamento dócil, vacinação e vermifugação em dia e controle de pulgas e carrapatos. Não ter passado por transfusão sanguínea anteriormente também é critério fundamental para tornar o animal apto para coleta, que pode ser repetida a cada três meses. O pet ainda ganha um check-up completo, uma vez que as condições de saúde do doador precisam ser avaliadas para garantir que tudo ocorra bem no procedimento. “Cumprimos exame físico, hemograma, avaliações renais e hepáticas e pesquisa de hemoparasitas. Também realizamos testes de tipificação do sangue ou de compatibilidade sanguínea para minimizar riscos”, descreve a docente.

Não é preciso agendar horário para realizar a doação. Basta que o pet seja levado ao HV/Unicruz dentro dos horários de atendimento: de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, sem fechar ao meio-dia.

Quer receber as notícias no seu email, acesse aqui